Qualidade de vida para os idosos

Falar sobre velhice pode parecer difícil, mas acredite, ela pode ser a melhor fase de nossas vidas. Vamos conversar sobre qualidade de vida para os idosos? Hoje, no dia dos avós, decidimos falar sobre esse assunto, porque eles são uma grande parcela da sociedade e que muitas vezes não são reconhecidos. Aqui, você irá entender que envelhecer é um processo inerente ao ser humano e que as nossas experiências podem ser um fator determinante para viver a simplicidade de ser “mais velho”.

 

Ei, está tudo bem envelhecer, ok?

 

Envelhecer

O tempo caminha sem pausas, avança sem interrupções e leva junto com ele o que se foi vivido, sem ter como voltar. Quem dera poder voltar naquele tempo, naquele dia ou naquela fase da vida. Mas o que se viveu não pode ser revivido, entende? Pelo menos não do mesmo jeito. O tempo passa e a vida caminha lado a lado com ele.

 

Mudanças podem gerar medos e inseguranças na maioria de nós – talvez em todos nós. Ela pode, muitas vezes nos deixar preocupados com o amanhã, nos impedindo de viver o hoje.

 

Medos

O medo de envelhecer nos paralisa. Porque muitas pessoas associam a velhice com uma dependência involuntária. A sensação de estar mais próximo da morte, nos assusta e causa até um certo pavor. Até porque o que vem depois da morte é incerto, e a natureza do nosso ser se atordoa por não saber o que vem adiante.

 

Inseguranças

Se tornar dependente, a possibilidade de uma doença incapacitante, amigos e amigas estarão prestes a partir, a solidão pode bater à porta, a saudade de fazer coisas que não se podem fazer mais. São tantas as inseguranças, que nos petrificam. Mas o importante é entender a velhice como um processo natural e viver o hoje porque é o que todos nós temos: o agora.

 

O corpo, a pele, os cabelos, os órgãos do corpo não serão mais os mesmos, isso é verdade. Mas também é verdade que é possível viver feliz nessa fase da vida. A velhice faz parte da gente e a forma como encaramos e vivemos é o que faz com que tudo seja diferentemente bom.

 

O amor é importante

O amor que você sente sobre quem você é e sobre quem se tornou tem o poder de promover alegria. A sua história de vida te moldou, te trouxe experiência, te fez gerar relacionamentos, frutos que deram segmento a sua árvore genealógica. A sua história ainda está te moldando.

 

Amor por si

A autovalorização, o autoconhecimento, o autocuidado são itens que precisamos levar na bagagem do coração. Eles precisam ser usados sempre que possível. Uma vida pautada na felicidade e no prazer em ser o que se é, é o ingrediente fundamental para viver, pois nos faz envelhecer sem perder a liberdade. É o que nos fazer entender que no caminho teremos momentos altos e baixos, e que a vida é assim. Simples assim.

 

Amor que vem de quem a gente ama

Temos esse direito. Receber amor de quem a gente ama, daqueles que cuidamos. Se tem uma coisa que a velhice pede é do abastecimento do amor, que precisa vir de todas as direções, em forma de ações. O amor possui diversas formas: pode vir através de um carinho, através de um beijo, através de ajuda ou até mesmo de um cuidado. O amor em palavras é muito bom, mas o amor por gestos, alimenta a alma.

Receber amor de quem se ama, também na velhice, impulsiona a viver mais e melhor.

 

O bem envelhecer

Existem pessoas que não vivem de acordo com o tempo cronológico. Já conheceu alguém que já envelheceu mas parece que o tempo não passou para aquela pessoa? É porque ela entende que o seu corpo é um templo, e que o que a move está do lado de dentro. Ela se relaciona com crianças, jovens e adultos, sem barreiras. Vive, é feliz e tem o poder de fazer alguém feliz.

 

Porém, nem todas as pessoas conseguem viver desta forma, e se transformam em frutas azedas. Levam uma vida sem sabor, sem cor e sem sentimentos bons. Se camuflam, vivem amarguradas e não querem ter um encontro (nem confronto) com a realidade cronológica. O erro está aqui, em não viver e nem mesmo sentir o prazer em ser.

 

Qualidade de vida, em equilíbrio

Por fim, tire o fardo de incertezas e abrace as marcas do tempo, aceite-as e comemore. Essa é a beleza maior de viver, aproveitando a festa até o último minuto. Entenda que permanecemos nós mesmos, só que mais velhos.

 

E lembre-se, você não está no fim, você está vivendo um novo começo.